• IMEB-IES

Mamografia Digital x Mamografia Convencional: entenda a diferença


A mamografia é o principal exame de rastreamento das mamas para identificar o câncer de mama. No entanto, o avanço da tecnologia permitiu que fossem criadas maneiras mais eficazes e menos dolorosas para a realização do exame.


É o caso da mamografia digital, um moderno método de rastreamento que utiliza a tecnologia da tomossíntese mamária (Mamografia 3D), para obter imagens mais rápidas e de alta qualidade, além de tornar o exame mais confortável para as pacientes.


Acompanhe o artigo e entenda a diferença entre a mamografia digital e a mamografia convencional.


Qual a diferença entre a mamografia digital e a mamografia convencional?


A principal diferença da mamografia digital em relação à mamografia convencional (ou mamografia digitalizada), é que ela permite detectar o câncer de mama quando o tumor ainda não é palpável, isto é, quando possui menos que 1 centímetro de tamanho.


Nesta fase do tumor (denominada de fase subclínica), além dele não poder ser palpável, ele pode permanecer entre 6 a 11 anos sem apresentar qualquer sinal ou sintoma da doença, dificultando o diagnóstico precoce de um possível câncer.


Entretanto, é neste estágio que o tumor já sofreu cerca de 20 duplicações celulares, já podendo ser identificado em um exame mais profundo e preciso das mamas — como a mencionada mamografia digital.


É nesse sentido que este exame se mostra bastante eficaz: se o tumor for descoberto ainda em seu estágio inicial e for considerado maligno, as chances de cura são de cerca de 98% se a paciente receber o tratamento correto.


Quais as vantagens da mamografia digital?


Além da possibilidade da mamografia digital detectar lesões suspeitas menores que 1 centímetro, ela possui outras vantagens em relação à mamografia convencional. Confira:


Melhor desempenho em pacientes com mamas densas — Isso ocorre porque o tumor, quando se encontra em seu estágio inicial, ele pode apresentar um aspecto semelhante ao do tecido mamário denso, tornando difícil identificá-lo em uma mamografia convencional.

Mais conforto e menos dor na hora do exame — a tecnologia trazida pela mamografia digital torna o exame mais confortável para as pacientes. No IMEB, nós contamos com o mamógrafo Senographe Pristina™, feito especialmente para tornar o procedimento mais confortável. Nesse exame, a própria paciente controla a compressão das suas mamas.

Maior rapidez no diagnóstico, principalmente quando é necessário realizar biópsias de lesões suspeitas encontradas — as imagens da mamografia digital ficam disponíveis para análise em questão de segundos, otimizando o trabalho do médico e de toda a equipe envolvida. Na mamografia convencional, é necessário a impressão das imagens em chapas.

Acurácia diagnóstica — para o médico, a mamografia digital contribui para uma interpretação do laudo mais precisa, ao contar com ferramentas que auxiliam neste processo, como: manipulação de brilho e contraste, inversão da imagem de preto-e-branco para branco-e-preto, aplicação de zoom, entre outras facilidades.

Estudo comparativo mais eficaz — a comparação com exames anteriores também pode ser melhor, desde que os outros exames também tenham sido feitos com a mamografia digital.


Assista ao vídeo abaixo no qual o Dr. Renato, médico do IMEB, explica com mais detalhes as principais vantagens da mamografia digital:





É importante lembrar que, dependendo de cada caso, o médico poderá considerar a necessidade de realizar exames complementares, como alternativas à mamografia digital (principalmente quando a mulher for jovem), ou em situações de diagnóstico inconclusivo.

Quando realizar a Mamografia digital?


A realização da mamografia digital segue a mesma regra para a mamografia convencional: ambos os exames são indicados para mulheres a partir dos 40 anos, ou a partir dos 35 para quem possui fatores de risco do câncer de mama.


É preciso destacar também que, tanto a mamografia digital quanto a convencional, são, de modo geral, muito eficazes no rastreamento das mamas para detectar o câncer de mama. O que deve ser considerado, sobretudo, nos dois métodos, é o controle de qualidade, de modo que apresente imagens confiáveis para um diagnóstico preciso.


Além disso, se o equipamento estiver adequado e em perfeitas condições de uso, e os profissionais e médicos envolvidos estiverem capacitados e habilitados para, não só operar a máquina, como interpretar o laudo, qualquer um dos exames é útil na detecção do câncer de mama.


Pensando nisso, O IMEB – Imagens Médicas de Brasília e o Instituto de Educação Superior IMEB-IES, em parceria com a GE Healthcare, realizarão o Curso Clínico Avançado em Mamografia.


O objetivo deste curso é capacitar profissionais da saúde que tem interesse em aprender mais sobre os aspectos que envolvem a mamografia que vão além da execução do exame.


O diferencial deste curso é que o aluno poderá escolher as aulas que mais se interessar ou optar por fazer o curso completo. Serão 11 aulas que abordarão desde como fazer um atendimento humanizado na hora do exame até como a inteligência artificial irá influenciar o futuro da mamografia.


Clique aqui e garanta a sua vaga.

2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo